CROP CIRCLES : MENSAGENS SIMBÓLICAS DA HIERARQUIA SUPERIOR,NAS PLANTAÇÕES,PARA OS TEMPOS MODERNOS



CROP CIRCLES
Mensagens para estes tempos*
por Francine Blake

Desenhos extraordinários de grande complexidade são diariamente encontrados em plantações de vários tipos de vegetação. Esse fenômeno ocorre em âmbito mundial, principalmente na Inglaterra, nos meses de verão. Nos países nórdicos, os padrões circulares são vistos no gelo e na neve, e até desertos podem receber algumas belas formações. Elas são lindas, trazem em si significado e chegam com muita insistência; então, por que quase não há resposta do público? Durante muitos anos, os Crop Circles receberam pouca e  inapropriada cobertura por parte  da Imprensa. Isso pode ter sido porque eles se encontram muito distantes da compreensão da maioria das pessoas ou porque são vistos como desafios por pessoas de mente estreita. Em todo caso, a falta de informação por parte da mídia deve-se à ignorância sobre os fatos.

O assunto Crop Circles não é uma questão de crença; eles existem no mundo físico e nós podemos visitá-los, tirar fotos, pegar amostras de plantas e de solo e fazer com que sejam examinadas por cientistas. Para a maioria das pessoas  ver algo através de um poderoso microscópio é um modo válido  de se determinar se há diferença  entre uma planta que está em pé e outra que está dobrada no solo. Milhares de espécimes de plantas que faziam parte dessas  formações foram enviados a laboratórios e as análises mostraram que eles foram submetidos a uma energia que incluía plasma: suas sementes não germinam da mesma forma que as sementes normais e produzem plantas  diferentes. Os espécimes de outras plantações ou os encontrados em desenhos feitos pelo homem, encomendados pela mídia ou por outras  instituições, não apresentam esses resultados.
                         
 Amostras de terra dos Crop Circles também foram analisadas de modo semelhante, indicando que as áreas foram atingidas por algum tipo de energia poderosa como um raio, que mudou sua composição tão radicalmente que as culturas subseqüentes nesses locais foram afetadas durante anos. Não importa quão fantásticos sejam esses resultados, estamos no campo dos fatos, não da crença. Além disto, a geometria dos Crop Circles é precisa e refere-se a símbolos antigos, de todas as antigas tradições. Entretanto, não são em geral réplicas exatas, mas sim ponto de partida para a linguagem simbólica que unifica o conhecimento antigo com avançados conceitos científicos, dando-nos uma nova compreensão, mais apropriada para os nossos tempos. Ela pode ser decifrada, e a mensagem assim conseguida é importante para a humanidade de hoje.

Em geral, os Crop Circles são encontrados ao redor de lugares considerados sagrados por nossos ancestrais e Avebury, em Wiltshire, é a área mais ativa de todas. Há mais de trinta anos eles são documentados e apresentam uma evolução estudada, com temas específicos desenvolvidos durante as estações do ano em que eles aparecem. Desde 1980, mais de seis mil desenhos foram registrados em bancos de dados por todo o mundo. Isso é de fato impressionante. Alguma consciência está fazendo tudo para chamar nossa atenção.”

*Texto escrito originalmente em inglês.




Nascida em Montreal, Canadá, Francine Blake se formou em Estudos Clássicos na faculdade e estudou Belas Artes na l'Ecole des Beaux Arts de Montreal. Ela sempre procurou conhecimento, e passou 20 anos estudando a sabedoria antiga em uma escola de auto-desenvolvimento trouxe para o Ocidente em 1917 por George Ivanovitch Gurdjieff. FRANCINE BLAKE fotoIntroduzido a círculos de cultura em 1987, Francine foi imediatamente atraído para eles, reconhecendo muitos dos símbolos que ela havia estudado. Ela juntou-se ao Centro de Estudos Crop Circle (CCCS), em 1991, e em 1992 mudou-se para Wiltshire com sua família para estar mais perto do fenômeno. Em 1995, ela começou a Círculo da colheita Wiltshire Grupo de Estudos (WCCSG), onde foi eleito coordenador, cargo que ainda ocupa. Ela edita The Spiral, a newsletter mensal para o WCCSG, e projeta e produz um calendário anual Crop Circle. Ela dá palestras extensivamente e tem dado muitas entrevistas no rádio e na televisão.Ela mora no Pewsey Vale perto Alton Barnes - a área mais ativa para os círculos nas plantações em todo o mundo (e um monte de megálitos) - onde estuda o fenômeno em tempo integral. www.wccsg.com 

Um livro sobre CROP CIRCLES

Com estudos sobre Artes, História Antiga e Zen-Budismo, Francine Blake encontra-se bem preparada para tentar desvendar o significado por trás dos Crop Circles. Descobriu o assunto em 1989 e dois anos depois entrou para o Centro de Estudos dos Círculos nos Trigais em Londres. Em 1992, mudou-se para Wiltshire, de modo a estar perto das formações. Fundou o Grupo de Estudos de Wiltshire e é uma das principais organizadoras da Conferência anual sobre Círculos nos Trigais, na cidade de Marlborough. É também editora da revista The Spiral. Após estudar, fotografar e catalogar os Crop Circles por vinte e um anos,

Francine acaba de escrever um livro sobre o assunto, que logo estará disponível. O livro é um profundo estudo crítico sobre os Crop Circles, no qual ela explica o motivo da escolha dos locais feita por eles e narra a história do fenômeno desde 1980, inclusive com provas científicas de seus efeitos sobre plantas e solo. Apresenta descrições sobre as famílias de símbolos, suas linhas de evolução e os significados dos desenhos. O livro detalha as implicações inerentes à manifestação dos desenhos e para onde eles estão nos levando. Além disso, contém muitos eventos não registrados e é fartamente ilustrado. Um livro para estes tempos.

 Trecho extraído: 
Sinais de Figueira
Nº 20  página.  12.
Abril a Junho de 2010
Irdin Editora

CD de Trigueirinho que amplia este tema:

NA ÉPOCA DOS CROP CIRCLES

Maiores informações sobre livros e CDs de partilhas:
http://www.irdin.org.br/