AGRICULTURA E SUSTENTABILIDADE - TEXTO SOBRE ANTROPOSOFIA



(imagem retirada da Revista de 
Agricultura Biodinâmica por Henrique Ventura Régis)

Agricultura e sustentabilidade - Texto sobre Antroposofia


Olá a todas/os,
Henrique Régis, o coordenador deste blog, pediu-me para escrever sobre agricultura e sustentabilidade. Existe uma agricultura antroposófica, isto é, uma das aplicações da Antroposofia, chamada de Agricultura Biodinâmica (ABD), introduzida por Rudolf Steiner em 1924 [1]. Desde aquela época, inúmeras fazendas que usam o método de cultivo biodinâmico (BD) têm sido formadas no mundo todo, havendo várias no Brasil. Um caso digno de nota é o arroz Volkmann, de Sentinela do Sul, RS (www.volkmann.com.br) que, aliás, traz o selo Demeter que indica, no mundo todo, um produto genuinamente BD. Muito se tem falado da excelência dos vinhos BDs (apesar de a Antroposofia ser contra o uso de bebidas alcoólicas, por prejudicarem hoje em dia o desenvolvimento espiritual pessoal). Provavelmente muitos dos leitores já viram nos invólucros de produtos agrícolas a marca IBD, do Instituto Biodinâmico, que certifica produtos orgânicos e BDs; ele tem as características de integridade de todas as iniciativas antroposóficas.
Em 1971, nos EEUU, assisti uma palestra do presidente da associação americana de agricultores orgânicos, e lhe perguntei o que achava da ABD. Ele disse "É o máximo em agricultura orgânica." Por que será? A distinção está nos fundamentos espiritualistas antroposóficos da ABD, a maneira como a terra, as plantações e os animais são tratados e o fato de que cada fazenda tem, como tudo na Antroposofia, o ser humano como centro. Se for feita uma visita a uma fazenda BD, como por exemplo aEstância Demétria em Botucatu, SP, a pioneira no Brasil, e se falar com os agricultores, logo notar-se-á algo muito especial: o amor e respeito que todos os que trabalham numa fazenda BD têm pela terra, pelas plantas e animais, e o fato de sempre se constituírem em uma comunidade harmônica de trabalho, que oferece dignidade e cultura para todos. 

Gostaria de comentar algo muito especial que aparece na foto postada pelo nosso querido  Henrique Régis, precedendo meu texto sobre agricultura e sustentabilidade. Você podem notar dois círculos com umas figuras estranhas, parecendo algo orgânico. Trata-se de fotos feitas com o Método de Cristalização, uma espécie de cromatografia. Ele consiste em diluir-se uma substância que se quer pesquisar, como a seiva de uma planta, com uma solução de cloreto de cobre. Em seguida, coloca-se isso num pires (disco de Petri) e deixa-se evaporar o líquido sob condições muito controladas de temperatura e humidade. Durante a evaporação formam-se cristais, que se veem nas duas figuras citadas. As forças vitais, "forças étéricas", ou "forças plasmadoras", no jargão antroposófico, que não são físicas, e que existem em qualquer ser vivo, influenciam a cristalização. Depois de terminada a cristalização, o pesquisador treinado pode reconhecer, pelas formas que aparecem, a qualidade da substância que foi examinada. No Goetheanum, em Dornach, Suíça, a sede da Sociedade Antroposófica Geral, havia um laboratório que usava o método da cristalização para detecção precoce do cãncer -- há um tratamento antroposófico para o câncer na medicina antroposófica, baseado em Viscum Album, uma espécie de Erva de Passarinho; essa praga funciona como um câncer para as plantas: vai se propagando até matar a planta hospedeira. Sobre esse medicamento, sugerido por Rudolf Steiner, o fundador da Antroposofia, veja-se
O método da cristalização foi sugerido por Steiner a Ehrenfried Pfeiffer, que foi um grande pesquisador da Agricultura Biodinâmoica, ver em
onde há um trecho sobre aquele método, inclusive seu uso na detecção do câncer. Quanto mais forças vitais, mas característica é a cristalização.
Além desse método, existem outros dois usados na pesquisa científica qualitativa antroposófica: o método da capilaridade (o líquido a ser pesquisado é chupado por um mataborrão, e a forma da figura que assim se forma dá uma indicação da qualidade) e o método da gota (deixam-se cair gotas de água em um pires com uma solução do que se quer investigar misturada com glicerina); as formas que aparecem devido às diferenças de densidade indicam a qualidade; esse método é usado para análise qualitativa da água, ver belos exemplos em
Infelizmente, a ciência clássica materialista ignora esses métodos, devido à base espiritualista dos mesmos. No caso da erva de passarinho, foi inclusive detectado, em pesquisa clássica, o seu princípio ativo.