HOMEOPATIA,AGRECOLOGIA E SUSTENTABILIDADE


Homeopatia, Agroecologia e Sustentabilidade

A Ciência da Homeopatia é embasada em experimentações que iniciaram em 1796. Os princípios da Homeopatia são coerentes com as diretrizes que norteiam a produção orgânica e ecológica de alimentos. No Brasil o uso da Homeopatia na produção orgânica é legalizado pela lei 10.831/2003.  A Ciência da Homeopatia é aplicada no equilíbrio dos organismos vivos. A família agrícola aplica os conhecimentos da Homeopatia no seu dia a dia gerando tecnologias a partir de recursos locais. A Homeopatia é certificada como tecnologia social efetiva pela Fundação Banco do Brasil/UNESCO. As pesquisas em plantas, solo e água demonstram que o preparado homeopático estimula a defesa e adaptação dos organismos vivos como se fosse intrínseca e os princípios da Homeopatia se aplicam a qualquer nível de complexidade orgânica. A partir de revisão de literatura e do resgate de experiências em campo é possível afirmar que a Homeopatia é ferramenta ao se trabalhar a agroecologia. Pode-se afirmar que a Ciência da Homeopatia, com seus conceitos, filosofias e princípios que mediante os resultados experimentais, é coerente com as bases epistemológicas que norteiam a sustentabilidade agrícola em suas múltiplas dimensões: ecológica, ética, social, cultural, econômica e política. Por meio da pesquisa participativa em unidades agrícolas familiares que inseriram o preparado homeopático no manejo é possível identificar diversos indicadores ambientais responsivos a ação direta e/ou indireta da homeopatia. O aumento da biodiversidade, a melhoria de atributos físico-químicos e biológicos do solo e da água, a eliminação dos agrotóxicos, o uso de recursos locais, a inserção de práticas de manejo ecológicas e a melhoria da saúde das plantas e dos animais são alguns exemplos das vantagens da adoção da Homeopatia. A qualidade de vida da família agrícola deve ser ressaltada, uma vez que ao estudar e adotar a Homeopatia como prática diária nos trabalhos no campo tem resgatada sua auto-estima, autonomia, flexibilidade e criatividade, assumindo de modo seguro a gestão do agrossistema. O preparado homeopático tem permitido a inclusão de agricultores familiares de baixa renda contribuindo com a minimização de gastos e consequentemente com o aumento da renda familiar. Portanto, a Ciência da Homeopatia tem conhecimento e recursos tecnológicos compatíveis com a perspectiva da agricultura sustentável sendo ferramenta aos sistemas em fase de transição aos modelos ecológicos de produção. Este texto consta de uma revisão de literatura quanto ao tema.
Fonte:http://www.ihama.com.br/area/publicacao/3


Aconteceu em Maringá-PR, durante os dias 7 e 8 de setembro de 2013, a II Conferência Internacional de Homeopatia na Agricultura (II CHA).
A I Conferência Internacional de Homeopatia na Agricultura foi realizada no período de 07 a 09 de Outubro de 2011 na pequena vila de Newnham, em Gloucestershire na Inglaterra. Este evento reuniu participantes de 13 países (Inglaterra, Irlanda, Alemanha, Holanda, Itália, Suíça, Grécia, Espanha, África do Sul, Hungria, Paquistão, Índia e Brasil) entre eles, pesquisadores, técnicos, produtores e demais interessados na ciência homeopática aplicada a agricultura. Foram proferidas diversas palestras apresentando resultados de pesquisas, experiências práticas, discussões e debates sobre o uso de homeopatia em plantas.
O segundo evento, desta vez realizado no Brasil, teve como principais objetivos: Conscientizar da importância da homeopatia como meio científico e alternativo na redução do impacto ambiental; Disseminar  resultados de pesquisas científicas acadêmicas e práticas; Difundir o conhecimento da ciência homeopática como ferramenta a ser utilizada em todos os segmentos da agricultura; Trocar experiências e informações entre os participantes (estudantes, profissionais, professores, produtores e interessados) propiciando o desenvolvimento e divulgação de novas tecnologias desenvolvidas nas diversas áreas de atuação da homeopatia.
O tema tem recebido grande atenção no Brasil e no mundo, devido à necessidade de alternativas a crescente utilização de agrotóxicos e suas consequências tanto para saúde humana quanto para o meio ambiente. Desde 2009, o Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo. Nos últimos 40 anos, o consumo de pesticidas aumentou 700%, enquanto que a área agrícola aumentou apenas 78%. Deste ponto de vista, a substituição de agrotóxicos convencionais por alternativas menos tóxicas e a adoção de sistemas de produção orgânica mais saudável têm sido bem aceito pela sociedade. No entanto, apesar do crescimento do sistema orgânico no Brasil e no mundo, existem muitas limitações nesse sistema de produção. Atualmente, segundo o Professor Carlos Moacir Bonato (Coordenador da Segunda Conferência), a homeopatia é uma das tecnologias sociais indispensáveis ​​na produção orgânica. Neste artigo você entenderá um pouco mais sobre o tema e sobre alguns dos trabalhos apresentados durante a conferência.
A homeopatia surgiu há mais de 200 anos, inicialmente como técnica terapêutica destinada a tratamento de seres humanos.
Partindo de conhecimentos e experimentações, direcionados primeiramente apenas a seres humanos, hoje verifica-se que a atuação das substâncias homeopatizadas ocorre em qualquer tipo de sistema biológico ou biossistema, desde microrganismos até coletividades de seres macroscópicos, como rebanhos de animais e grandes cultivos. Este conhecimento abriu possibilidades da utilização da homeopatia e dessas substâncias em diversos setores, especialmente na agropecuária, tanto como forma mais saudável de tratamento de animais e plantas adoecidas, como também uma possibilidade de melhorar a produção de plantas e animais através da indução de patogenesias controladas, como por exemplo, estimulando a produção de metabólitos secundários de uma planta medicinal, segundo o Professor Daniel Melo de Castro.
Apesar de parecer algo relativamente novo na área da agricultura, o Prof. Mark Moodie, um dos principais organizadores do I ICHA e convidado de honra da segunda conferência no Brasil, os primeiros relatos da utilização da homeopatia na agricultura datam da época de 1930 e foram desenvolvidos pela pesquisadora Lili Kolisco. Mesmo assim, igualmente ao seu precursor, a homeopatia voltada á saúde humana, muitas são as desconfianças quanto a real eficácia deste tipo de tratamento.
Para os céticos de plantão, o Prof. Moodie, fez questão de trazer ao Brasil, diversos casos em que a homepatia se mostrou uma importante ferramenta para soluções agrícolas, como é o caso do Paquistanês DrIftikhar WarisShah, que também esteve presente no II ICHA, e foi responsável por desenvolver em seu país um tratamento homeopático para o controle da cochonilha em plantações de algodão. O preparado homeopático desenvolvido, conhecido como Ventage, passou por uma série de testes realizados por especialistas e apresentou , quando comparado aos tradicionais químicos, desempeno semelhante que levou a mortandade de 90 á 100% das ninfas de cochonilha.
Segundo o Prof. Moodie, estes testes serviram como prova de conceito, uma vez que foram realizados por especialistas sobre condições rigorosas, independentes e os resultados obtidos se apresentaram estatisticamente significativos.
Outro importante trabalho destacado pelo Prof. Moodie, foi desenvolvido no sul da Itália pelo Pesquisador Enzo Nastati, que tratou diferentes folhas de chicória pulverizando um medicamento homeopático desenvolvido pelo mesmo e denominado M11, e água como controle. Nas fotos abaixo é possível visualizar a evolução das folhas, sendo a da esquerda o controle (água) e a da direita tratada com o medicamento homeopático M11.
PublicaçãoFonte: Moodie, Mark.”HOMEOPATIA NA AGRICULTURA – RÁPIDOS SOZINHO, MUITO MAIS RÁPIDOS JUNTOS”. In: II Conferência Internacional de Homeopatia na Agricultura, Maringá-PR, 2013.

Segundo o próprio Prof. Moodie, diversas são as potenciais utilizações da homeopatia na agricultura, ecologia e outros sistemas biológicos, como podemos ver no esquema á seguir apresentado durante o II ICHA.
 Publicação1Fonte: Moodie, Mark.”HOMEOPATIA NA AGRICULTURA – RÁPIDOS SOZINHO, MUITO MAIS RÁPIDOS JUNTOS”.In: II Conferência Internacional de Homeopatia na Agricultura, Maringá-PR, 2013.

Apesar destes e outros fatos, a homeopatia aplicada á agricultura ainda enfrenta a desconfiança de muitos pesquisadores, principalmente na área a acadêmica. Por isso, encontros como a Conferência Internacional de Homeopatia na Agricultura, são de extrema importância para ajudar a disseminar, discutir e compreender melhor as bases dessa ciência.
E você Engenheiro de Biossistemas, conhece as possibilidades da agro-homeopatia? Existe espaço para seu desenvolvimento no cenário agrícola nacional?
Referências:
Moodie, Mark.”HOMEOPATIA NA AGRICULTURA – RÁPIDOS SOZINHO, MUITO MAIS RÁPIDOS JUNTOS”.In: II Conferência Internacional de Homeopatia na Agricultura, Maringá-PR, 2013.
Daniel Melo de Castro. “HOMEOPATIA: PRINCÍPIOS E APLICAÇÕES”.In: II Conferência Internacional de Homeopatia na Agricultura, Maringá-PR, 2013.
Boff, Pedro. “INSERÇÃO DA HOMEOPATIA NA AGROECOLOGIA”..In: II Conferência Internacional de Homeopatia na Agricultura, Maringá-PR, 2013.
Fonte:http://portalbiossistemas.wordpress.com/2013/12/08/homeopatia-na-agricultura-sustentabilidade-aos-biossistemas/

HOMEOPATIA, AGROECOLOGIA E SUSTENTABILIDADE

Vicente W. D. Casali, Fernanda M.C. Andrade, Maria do Carmo Cupertino

RESUMO


A Ciência da Homeopatia é embasada em experimentações que iniciaram em 1796. Os princípios da Homeopatia são coerentes com as diretrizes que norteiam a sustentável produção orgânica e ecológica de alimentos. No Brasil o uso da Homeopatia na produção orgânica é legalizado. A tecnologia da Homeopatia é aplicada no equilíbrio dos organismos vivos. A família agrícola aplica os conhecimentos da Homeopatia no seu dia a dia gerando no campo tecnologias a partir de recursos locais. A Homeopatia é certificada como tecnologia social efetiva. As pesquisas em plantas, solo e água demonstram que o preparado homeopático estimula a defesa e adaptação dos organismos vivos como se fosse intrínseca e os princípios da Homeopatia se aplicam a qualquer nível de complexidade orgânica. A Homeopatia é ferramenta ao se trabalhar a agroecologia. Pode-se afirmar que a Ciência da Homeopatia, com seus conceitos, filosofias e princípios e mediante os resultados experimentais, é coerente com as bases epistemológicas que norteiam a sustentabilidade agrícola em suas múltiplas dimensões: ecológica, ética, social, cultural, econômica e política. Por meio da pesquisa participativa em unidades agrícolas familiares que inseriram o preparado homeopático no manejo é possível identificar diversos indicadores ambientais responsivos a ação direta e/ou indireta da homeopatia. O aumento da biodiversidade, a melhoria de atributos físico-químicos e biológicos do solo e da água, a eliminação dos agrotóxicos, o uso de recursos locais, a inserção de práticas de manejo ecológicas e a melhoria da saúde das plantas e dos animais são alguns exemplos das vantagens da adoção da Homeopatia. A qualidade de vida da família agrícola deve ser ressaltada, uma vez que ao estudar e adotar a Homeopatia como prática diária nos trabalhos no campo tem resgatada sua auto-estima, autonomia, flexibilidade e criatividade, assumindo de modo seguro a gestão do agrossistema. O preparado homeopático tem permitido a inclusão de agricultores familiares de baixa renda contribuindo com a minimização de gastos e consequentemente com o aumento da renda familiar. Portanto, a Ciência da Homeopatia tem conhecimento e recursos tecnológicos compatíveis com a perspectiva da agricultura sustentável sendo ferramenta aos sistemas em fase de transição aos modelos ecológicos de produção.

Link para o Texto do Artigo completo em PDF,abaixo:

http://www.abaagroecologia.org.br/revistas/index.php/rbagroecologia/article/view/7693