EFICÁCIA DO TRATAMENTO PELA ACUPUNTURA : PESQUISAS


Acupuntura
Acupuntura: estudo reforça evidências a favor da técnica milenar chinesa (Thinkstock)

Tratamento

Acupuntura é eficaz no tratamento de algumas dores crônicas, confirma pesquisa

Análise de estudos com quase 18.000 pacientes mostrou que a técnica chinesa é capaz de diminuir as dores em casos de lombalgia, cefaleia e osteoartrite

Acupuntura é eficaz no tratamento de algumas dores crônicas, confirma pesquisa

Análise de estudos com quase 18.000 pacientes mostrou que a técnica chinesa é capaz de diminuir as dores em casos de lombalgia, cefaleia e osteoartrite


A acupuntura acaba de ganhar um importante reforço para sua credibilidade. Uma análise de 29 estudos clínicos mostrou que a acupuntura é melhor que o uso de placebo para o tratamento de alguns tipos de dor crônica, como a lombalgia e a cefaleia.
CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Acupuncture for Chronic Pain - Individual Patient Data Meta-analysis

Onde foi divulgada: revista Archives of Internal Medicine 

Quem fez: Andrew J. Vickers, Angel M. Cronin, Alexandra C. Maschino, George Lewith, Hugh MacPherson, Nadine E. Foster, Karen J. Sherman, Claudia M. Witt, Klaus Linde

Instituição: Sloan-Kettering Cancer Center 

Dados de amostragem: estudos com 17.922 pessoas


Resultado: pacientes que receberam acupuntura apresentaram menor dor nos casos crônicos de lombalgia, osteoartrite e cefaleia que os pacientes tratados com acupuntura simulada. A redução foi ainda maior em comparação com pacientes que receberam outros tratamentos placebos.
Publicado nesta segunda-feira noArchives of Internal Medicine, periódico da Associação Médica Americana, o estudo reforça as recentes evidências que apontam para a eficácia da acupuntura. Até hoje, a técnica de introduzir agulhas em pontos específicos sob a pele, criada há pelo menos 2.500 anos pelos chineses, foi posta em dúvida porque, em muitos estudos, apresentava resultados não suficientemente melhores que o tratamento placebo.
Na análise coordenada por Andrew Vickers, pesquisador do Sloan-Kettering Cancer Center, em Nova York, foram utilizadas informações de estudos clínicos feitos com um total de 17.992 pacientes dos Estados Unidos, Grã-Bretanha, Alemanha, Espanha e Suécia. A acupuntura se mostrou superior no tratamento da dor crônica tanto em relação ao grupo que não recebeu nenhuma terapia quanto ao que recebeu acupuntura simulada (na qual agulhas são introduzidas na pele, mas fora dos 






pontos específicos). Além da acupuntura simulada, também foram usadas nos estudos analisados agulhas retráteis (que pressionam, mas não ultrapassam a pele dos pacientes), acupuntura a laser e nenhum tratamento.
Segundo os autores da pesquisa, os pacientes que receberam acupuntura apresentaram menor dor nos casos crônicos de lombalgia, osteoartrite e cefaleia que os pacientes tratados com acupuntura simulada (os pacientes dão 'notas' para o grau de dor que estão sentindo, sendo zero o menor índice de dor e 10 a pior dor possível). A redução foi ainda maior em comparação com pacientes que receberam outros tratamentos placebos.
"Os dados resultantes dessa análise de outros estudos com quase 18.000 pacientes em testes clínicos de alta qualidade fornecem as mais robustas evidências até hoje de que a acupuntura é uma boa opção para pacientes com dor crônica”, afirmaram os autores do estudo.

"Estudo reafirma o que observávamos nos consultórios"

Andre Wan Wen Tsai
médico ortopedista e acupunturista do Centro de Acupuntura do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do HC FMUSP e diretor de Relações Institucionais do Colégio Médico de Acupuntura do Estado de São Paulo.

"O grande problema da acupuntura é que muitos estudos mostravam que seu uso fazia a dor diminuir, mas também havia redução no grupo placebo. Este artigo mostra que existe uma boa diferença entre acupuntura e placebo e reafirma o que já observávamos na prática clínica.

"Entretanto não é para toda dor crônica. A acupuntura tem maior efetividade nos casos crônicos de lombalgia, dor cervical, osteoartrite e cefaleia. 
"É bom lembrar que, em medicina, usamos mais uma terapia ao mesmo tempo. Isso significa que a acupuntura pode ter um efeito superior se combinada a outros tratamentos contra a dor crônica. Isso é bem nítido na prática clínica."

Acupuntura pode ajudar a emagrecer, diz estudo

Segundo pesquisadores coreanos, usar a técnica para estimular cinco pontos específicos da orelha ajuda na redução do IMC e da gordura corporal

Quilos a menos: estudo sugere que acupuntura pode ajudar na hora de emagrecer
Quilos a menos: estudo sugere que acupuntura pode ajudar na hora de emagrecer (Thinkstock)
Em um novo estudo, pesquisadores coreanos descobriram que a acupuntura pode ser eficaz em ajudar uma pessoa a perder peso, especialmente se as agulhas são usadas para estimular cinco pontos específicos da orelha — incluindo os relacionados ao estômago, baço e apetite. De acordo com a pesquisa, pacientes com sobrepeso submetidos à técnica conseguiram reduzir seus índices de massa corporal (IMC) e níveis de gordura após oito semanas de tratamento. Os dados foram publicados nesta segunda-feira na revista Acupuncture in Medicine, que faz parte do grupo British Medical Journal (BMJ).
A acupuntura auricular se baseia na ideia de que a orelha representa todas as partes do corpo. A técnica foi aplicada pela primeira vez em 1965, na França, por Paul Nogier após ele ter percebido que as dores nas costas de um paciente haviam sido curadas depois que ele sofreu uma queimadura na orelha.

Participaram do novo estudo 91 adultos que tinham sobrepeso. Eles foram orientados a seguir uma alimentação restritiva (que elimina a ingestão de certos alimentos), mas que não chega a caracterizar uma dieta de perda de peso. Os participantes também foram aconselhados a não praticar mais exercícios do que estavam acostumados.

Saiba mais

ACUPUNTURA
A acupuntura faz parte da medicina tradicional chinesa, sistema que busca prevenir e tratar doenças por meio de um conjunto de práticas que inclui fitoterapia, exercícios físicos e alimentação adequada. Acredita-se que ao introduzir as agulhas (muitas vezes com baixas correntes elétricas que as aquecem) em pontos especificos, o fluxo do qi (força vital) é desbloqueado, retomando o equilíbrio entre o yin e yang (forças opostas que se manifestam no corpo pelos extremos, calor e frio, excesso e deficiência). Estudos já provaram que a acupuntura alivia dores e sintomas como náuseas e vômitos. Ela age interrompendo a percepção de dor enviada ao sistema nervoso central e liberando 'analgésicos naturais' na corrente sanguínea .
Parte dos voluntários foi tratada com sessões de acupuntura que aplicavam agulhas em cinco pontos específicos da orelha. As agulhas eram mantidas nesses pontos com uma fita adesiva cirúrgica durante uma semana e, depois, o procedimento era feito novamente. Esse processo foi feito durante oito semanas.
Outro grupo passou por sessões de acupuntura com o estímulo de apenas um ponto da orelha, o relacionado ao apetite. O restante dos voluntários foi submetido a um tratamento falso, em que as agulhas eram removidas imediatamente após terem sido inseridas.
Segundo os autores, as diferenças entre os grupos começou a partir da quarta semana. Os pesquisadores concluíram que as pessoas que foram estimuladas em cinco pontos da orelha tiveram uma redução do IMC de 6,1%, em média. Essa diminuição foi de 5,7% entre aquelas que foram estimuladas em apenas um ponto da orelha. O grupo do placebo não apresentou redução no IMC.
Além disso, o estímulo em cinco pontos da orelha ajudou as pessoas a diminuírem a taxa de gordura corporal depois de oito semanas. Essa redução da gordura não foi observada entre os outros participantes.

Acupuntura é eficaz no alívio da dor

Tratamento milenar oriental acalma células cerebrais, constata estudo

acupuntura
(Creatas)
Uma nova pesquisa acaba de comprovar a eficácia da acupuntura. Cientistas da Universidade Hospital de Essen, na Alemanha, constatou que a técnica chinesa milenar acalma as células cerebrais responsáveis pela percepção de dor, ajudando a diminuir a sensibilidade do paciente na região atingida.
No experimento, 18 voluntários foram submetidos a choques elétricos enquanto seus cérebros eram examinados. Depois, passaram pela mesma experiência, mas, dessa vez, com as agulhas da acupuntura colocadas entre os dedos das mãos, abaixo do joelho e próximo ao dedão do pé. "A ativação de áreas do cérebro envolvidas na percepção da dor foi significativamente reduzida ou modulada com a acupuntura", conta a pesquisadora Nina Theysohn.
Um estudo similar já havia indicado, recentemente, que o simples ato de colocar agulhas na pele e retorcê-las produz uma série de analgésicos naturais. Porém, os especialistas de nenhum dos dois estudos parecem dispostos a concordar que o efeito acontece porque as agulhas “balanceiam as forças vitais”, nem confirmar os demais benefícios clamados pela acupuntura, como o combate a alergias e ao hábito de fumar.

Estados Unidos

No estudo da acupuntura, uma picada de cada vez

Pesquisadores criam polêmica ao afirmar que técnica traz os mesmos benefícios de tratamento placebo

The New York Times
Paciente se submete a acupuntura
Paciente se submete a acupuntura (Getty)
Por pelo menos 2 mil anos, curandeiros chineses usaram a acupuntura para tratar dores e outras doenças. Agora, médicos ocidentais querem provas científicas de que ela funciona ou não. Para eles, não basta que pessoas se sintam melhor depois de receber o tratamento, que consiste na inserção de pequenas agulhas profundamente na pele em pontos específicos do corpo. Eles querem saber se elas estão se beneficiando da acupuntura em si ou simplesmente de um efeito placebo causado pela administração do tratamento.

Na semana passada, um estudo publicado na revista Arthritis Care and Research e realizado por pesquisadores com o MD Anderson Cancer Center, em Houston, descobriram que entre 455 pacientes com artrite dolorosa no joelho a acupuntura não ofereceu mais alívio do que um tratamento simulado.

Na verdade, os pacientes sentiram um alívio significativo em ambos os tratamentos – uma redução média de um ponto em uma escala de dor de 1 a 7. Para os críticos, o problema é do estudo que teria sido  mal concebido.

Por um lado, eles notaram, os pacientes em ambos os grupos receberam tratamento com agulhas e estimulação elétrica; a principal diferença foi que, no grupo placebo, as agulhas não foram inseridas profundamente e o estímulo teve duração mais curta. No mundo real, um acupunturista treinado personalizaria o tratamento de sintomas específicos para cada paciente. No estudo, porém, as agulhas foram inseridas da mesma maneira em todos os pacientes do grupo da acupuntura "real".

No lugar de provar que a acupuntura não funciona, em outras palavras, o estudo pode sugerir que ela funciona mesmo quando é mal administrada. Mas a lição real, dizem os defensores da acupuntura, é sobre o quanto é difícil usar padrões ocidentais de investigação para uma antiga arte de cura.

"As pessoas alegam que, na verdade, não há pontos de acupuntura inativos – quase sempre que você inserir uma agulha vai encontrar um ponto ativo", disse Alex Moroz, um acupunturista treinado que dirige o programa de músculo-esqueleto no departamento de reabilitação na faculdade de Medicina da Universidade de Nova York. "Há um conjunto de literatura pelo qual toda a abordagem do estudo da acupuntura não se presta ao método científico reducionista ocidental."

A principal autora do estudo, Maria Suarez-Almazor, observa que o tratamento placebo foi desenvolvido com a ajuda de acupunturistas. Em um estudo sobre drogas, uma resposta igual nos grupos de tratamento e de placebo provaria que a droga não funciona, disse ela. "Trabalhamos com acupunturistas treinados no estilo tradicional chinês. Não planejamos um estudo que tentava demonstrar que a acupuntura não funciona, os resultados vieram sem diferença entre os dois grupos", disse.

A pesquisa do MD Anderson e outros estudos recentes alimentaram as especulações de que a picada de uma agulha, seja na acupuntura real ou numa falsa versão, pode influenciar a maneira como o corpo processa e transmite os sinais de dor.

Um estudo de 2007 com 1 200 pacientes com dores lombares, financiado pelas companhias de seguro da Alemanha, mostrou que quase a metade dos pacientes de ambos os grupos, de acupuntura real e falsa, tiveram menos dor depois do tratamento, em comparação com apenas 27% dos que receberam terapia física ou outra forma tradicional de tratamento.

Quando os pesquisadores alemães mediram quanta dor os pacientes sentiam, descobriram uma diferença considerável entre os da acupuntura real e os do tratamento falso. Apenas 15% dos pacientes do grupo de acupuntura precisaram de medicamentos adicionais para a dor, em comparação com 34% do grupo simulado. O grupo que recebeu terapia tradicional se sentiu pior dos que receberam a acupuntura falsa: 59% desses pacientes precisaram de doses extras de remédios para dor.

Os pesquisadores, que publicaram seus resultados na Archives of Internal Medicine, especularam que a inserção de agulhas ao redor de uma zona de dor pode ter causado um efeito de "super placebo", desatando uma série de reações que mudou a forma que o corpo experimenta a dor.

Outro estudo, financiado pelos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos, publicado em 2004, descobriu que a acupuntura reduziu significativamente a dor e melhorou a função em pacientes com artrite de joelho em comparação com um tratamento simulado.

Acupuntura é eficaz em tratar alergia, diz estudo

Em estudo, participantes submetidos a sessões da prática relataram um maior alívio de sintomas como coriza e lacrimação do que quem apenas foi medicado

Acupuntura
Acupuntura: Prática também pode ajudar pessoas com alergias, diz pesquisa (Thinkstock)
Depois de estudos recentes terem comprovado que a acupuntura é eficaz no tratamento de algumas dores crônicas, como lombalgia, osteoartrite e cefaleia, uma nova pesquisa alemã sugere que a prática pode ajudar a reduzir sintomas de alergias sazonais, que aparecem dependendo da época do ano e incluem lacrimação nos olhos e coriza. Os resultados foram publicados nesta terça-feira no periódico Annals of Internal Medicine.

Saiba mais

ACUPUNTURA
A acupuntura faz parte da medicina tradicional chinesa, sistema que busca prevenir e tratar doenças por meio de um conjunto de práticas que inclui fitoterapia, exercícios físicos e alimentação adequada. Acredita-se que ao introduzir as agulhas (muitas vezes com baixas correntes elétricas que as aquecem) em pontos especificos, o fluxo do qi (força vital) é desbloqueado, retomando o equilíbrio entre o yin e yang (forças opostas que se manifestam no corpo pelos extremos, calor e frio, excesso e deficiência). Estudos já provaram que a acupuntura alivia dores e sintomas como náuseas e vômitos. Ela age interrompendo a percepção de dor enviada ao sistema nervoso central e liberando 'analgésicos naturais' na corrente sanguínea .
A pesquisa, feita no Centro Médico da Universidade Charité, em Berlim, na Alemanha, envolveu 422 pessoas que sofriam de alergias sazonais. Parte delas foi submetida a sessões reais de acupuntura e outra parte, a sessões falsas de prática – e todos os participantes só receberam medicamentos anti-histamínicos caso precisassem. O restante das pessoas apenas recebeu o remédio.
Antes de começar o tratamento e após 12 sessões de acupuntura (verdadeira ou falsa), os participantes relataram a intensidade de seus sintomas dentro de uma escala de zero a seis – sendo zero nenhum sintoma e seis, sintomas muito fortes. Os indivíduos submetidos à acupuntura real foram aqueles que relataram a melhora mais significativa. Na escala dos sintomas, eles afirmaram que os problemas foram reduzidos em até 2,7 pontos  - 0,7 a mais do que a média relatada pelos indivíduos que apenas foram medicados e 0,5 a mais do que os submetidos à acupuntura falsa.
Fonte:revista VEJA