ACUPUNTURA : COMO SURGIU E FUNCIONA MESMO ?



Tudo sobre acupuntura! Como surgiu? Realmente funciona?


FOTO ARQUIVO

acupuntura é um método utilizado por profissionais da saúde principalmente para o alívio de dores. O método é feito com a inserção de uma agulha muito fina na pele, em várias profundidades e pontos estratégicos do corpo.
Originou-se na China há milhares de anos e sua sua popularidade vem crescendo rapidamente em todo mundo.
A acupuntura geralmente envolve sessões semanais ou bissemanais. É comum que se tenha mais de doze sessões no total.
Cada consulta inclui um exame, uma avaliação da atual condição do paciente, a inserção das agulhas e discussão sobre modos de se cuidar. Geralmente a sessão dura em média 30 minutos.
Dependendo de onde a agulha for inserida, o paciente ficará de barriga para cima, de costas ou de lado.
O paciente deve certificar-se de que o acupunturista estará utilizando uma agulha estéril.
Quando o profissional inserir a agulha, provavelmente o paciente sentirá uma sensação de pontada no local.
É normal que se sinta dor quando o profissional fura o ponto correto no corpo. Após o furo, a agulha é movida gentilmente, podendo ser estimulada com eletricidade ou calor.
Geralmente são utilizadas mais ou menos doze agulhas, cada uma permanece no local de 5 a 20 minutos.
A medicina explica a acupuntura pela neurociência. As áreas tocadas pelas agulhas estimulam os nervos, músculos e tecidos do corpo. Tais estímulos impulsionam os analgésicos naturais do corpo e aumentam a circulação sanguínea.
A acupuntura é muitas vezes relacionada a um tratamento complementar ou mesmo alternativo, porém está muito ligada a tratamentos médicos convencionais. Um médico pode combinar remédios e a acupuntura para melhorar náuseas depois da cirurgia, por exemplo.
Pesquisas comprovam que a acupuntura ajuda a melhorar a dor dentária em pós-operatórios e alivia náuseas e vômitos da quimioterapia.
Benefícios da acupuntura:
  • Possui poucos efeitos colaterais;
  • Pode ser utilizada como complemento para outro tratamento;
  • Ajuda a controlar certos tipos de dor;
  • É uma alternativa a mais caso o paciente não responda a medicações indicadas.
Malefícios da acupuntura:
  • Sangramento no local da agulha;
  • Ferimento no local da agulha;
  • Ferimento em órgão interno;
  • Transmissão de infecções (caso a agulha não esteja estéril).
Ao procurar um profissional acupunturista, o ideal é buscar uma orientação médica prévia para descartar doenças e condições que não podem ser tratadas com acupuntura.
No Brasil, médicos e outros profissionais de saúde atuam como acupunturistas. Aconselha-se que ao procurar por esta especialidade, o paciente certifique-se que o profissional tem credencial para a profissão.
As duas principais associações brasileiras de acupuntura são:
Associação Médica Brasileira de Acupuntura - Fundada em 23/09/1986 com o intuito de servir de apoio ao médico acupunturista, colaborar com o estabelecimento de normas para o ensino e aprimoramento da prática, estabelecer críterios de qualificação e obter o reconhecimento da Medicina Chinesa-Acupuntura junto aos Órgãos da Classe Médica.
A Associação oferece cursos de extensão, avançados e de aperfeiçoamento, além de congressos. Sua sede fica em São Paulo, com 11 seccionais em diversos estados.
Associação Brasileira de Acupuntura - A Associação foi criada em 1972, especialmente para ministrar cursos de formação em acupuntura e participar, organizar e incentivar simpósios, seminários e congressos (nacionais e internacionais). A associação ministra cursos a mais de 30 anos para profissionais da saúde. O curso é realizado nos quartos finais de semana de cada mês, com duração de 2 anos.
A associação é antecessora da Sociedade Brasileira de Acupuntura e Medicina Oriental, fundada após o 1º Curso de Formação em Acupuntura para profissionais da área da saúde ministrado pelo Professor Frederico Spaeth, em 1958. Sua sede fica em São Paulo, no bairro Jardim Paulista.


Acupuntura funciona mesmo



Estudos mapeiam seus efeitos no cérebro e revelam seu poder contra as dores e os transtornos emocionaispor Diogo Sponchiato


Se ainda havia algum ocidental 
desconfiado que, a exemplo de São Tomé, precisava ver para crer o resultado de uma porção de agulhas finíssimas sobre o corpo, ele provavelmente deixará suas suspeitas de lado ao saber o que andam desvendando neurocientistas ao redor do globo. Na Inglaterra, uma equipe da Universidade de York acaba de exibir, por meio de imagens de ressonância magnética, que uma espetada em um ponto da mão reduz a atividade de áreas do cérebro que regem a percepção da dor. Enquanto isso, nos Estados Unidos, um experimento com camundongos da Universidade de Rochester endossa o efeito analgésico da técnica oriental ao provar que ela estimula a liberação de uma molécula, a adenosina, responsável por aliviar o desconforto. São provas, vistas a olho nu ou sob a lente do microscópio, que permitem à ciência deste canto do mundo reconhecer o que os sábios chineses já apregoavam sobre o método que ganha milhões de pacientes no Brasil e no resto do Ocidente. 


"A acupuntura trabalha com estímulos em determinadas regiões do corpo que exercem um reflexo sobre outras", explica a médica acupunturista Angela Tabosa, chefe do Laboratório de Pesquisa Experimental em Acupuntura da Universidade Federal de São Paulo. "Essas respostas são, por sua vez, intermediadas pelo sistema nervoso", completa. É que as agulhas inseridas disparam impulsos que viajam pela rede nervosa até provocarem reações no cérebro. Esse mecanismo é imediato e, por interferir na massa cinzenta, surte efeitos mais duradouros. "A técnica tem uma ação sobre a musculatura, ajudando-a a relaxar, e incita, na medula, a produção de substâncias que inibem a passagem dos impulsos dolorosos", conta Dirceu de Lavôr Sales, presidente do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura. "No cérebro, ela induz a liberação de neurotransmissores com função analgésica e outros por trás da sensação de bem-estar." Dessa forma, alfinetam as dores, espetam, ou melhor, espantam o estresse e ganham papel de protagonista ou ator coadjuvante no desarme de uma lista de problemas. 

Para botar no papel todas as indicações da acupuntura, seria preciso preencher um extenso pergaminho da China antiga. As agulhas, é claro, não são uma panaceia, mas surpreendem até os olhos céticos. Em uma experiência com ratos que sofreram lesões na coluna vertebral da Universidade Kyung Hee, na Coreia do Sul, por exemplo, os animais que foram submetidos às espetadas se recuperaram e voltaram a andar mais cedo do que os bichos livres das picadas. A acupuntura coibiu inflamações e impediu, assim, a destruição progressiva de células nervosas da coluna. É esse poder anti-inflamatório, aliás, que garante à terapia lugar de destaque no combate a asma, dores crônicas… 

Outra virtude da técnica é equilibrar as emoções, debelar a ansiedade e o desânimo e reforçar o adeus aos vícios. "Ao modular a ação da dopamina, um neurotransmissor ligado ao prazer, o método ajuda a suprir a necessidade da droga", explica Angela Tabosa. Nesse sentido, até a obesidade entra na dança. "As agulhas auxiliam a reduzir a compulsão por comida", afirma a pediatra e acupunturista Márcia Yamamura, coordenadora do Centro de Estudo e Pesquisa da Medicina Chinesa, em São Paulo. 

As picadas prestam serviço a todas as idades e se revelam generosas às gestantes. Um trabalho da Universidade Stanford, nos Estados Unidos, aponta que elas aliviam a depressão durante a gravidez. "É uma forma de estimular o organismo a fabricar neurotransmissores como a serotonina, em baixa no distúrbio", explica Dirceu Sales. "Na gestação, a acupuntura também minimiza as náuseas, a azia, a insônia e as dores nas costas", enumera o médico acupunturista João Bosco Guerreiro da Silva, da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, no interior paulista. 

Mesmo quem não guarda no ventre uma criança ou está são e salvo de doenças pode tirar proveito das agulhas. "O ideal é que elas fossem usadas de modo preventivo, afastando um problema antes de ele se manifestar", opina Angela. Como abafam o estresse, também derrubam o risco de ficar de cama. A garantia de tanto benefício depende, vale frisar, de um terapeuta qualificado. "É um tratamento que deve ser ministrado apenas por médicos e dentistas, que conhecem anatomia e têm capacidade de fazer diagnóstico", avisa Sales. "A acupuntura só é contraindicada quando o profissional não sabe usá-la ou desconhece recursos terapêuticos melhores para o paciente, permitindo, assim, a postergação de problemas que podem ser fatais", alerta Ruy Tanigawa, presidente da Associação Médica Brasileira de Acupuntura. Do contrário, está liberada para entrar em cena, isto é, na sua pele.

Aplicações com o aval da medicina ocidental
• alergia 
• asma 
• dor de cabeça 
• dor nas costas 
• doenças das articulações 
• hipertensão 
• fibromialgia 
• dores musculares 
• gastrite e refluxo 
• síndrome do intestino irritável 
• constipação 
• tensão pré-menstrual e menopausa 
• depressão e ansiedade 
• gravidez 
• sequelas de derrame 
• doenças da pele 
• obesidade 
• endometriose 
• insônia 
• distúrbios hormonais 
• efeitos colaterais da quimioterapia

Para todos os gostos
Conheça as principais variações do método. Os pontos utilizados são os mesmos, mas nem sempre há necessidade de agulhas
EletroacupunturaAs agulhas são conectadas a um aparelho que emite correntes elétricas. A ideia é que os estímulos mais intensos possam acelerar a resposta à terapia. A técnica é recomendada no tratamento de dores agudas. 

Raio laser
O aparelho é direcionado aos pontos onde seriam inseridas as agulhas. Os terapeutas costumam recorrer a esse método em crianças e no caso de pessoas que têm pavor das espetadas. 

Moxabustão
O estímulo é feito por meio do calor, obtido com a queima de uma planta, a artemísia. Pequenos bastões acesos são aproximados das regiões que tradicionalmente receberiam as picadas. 

Por sistemasSão as versões que priorizam partes do corpo para conseguir respostas sobre todo o organismo. Entre as mais famosas, estão a auriculopuntura, que usa pontos na orelha, e a craniopuntura, que se vale do couro cabeludo.

Uma técnica, vários usos

No dentista
A acupuntura pode ser requisitada antes ou depois do tratamento dentário, diminuindo o nervosismo ou possíveis dores mais tarde. É coadjuvante no controle de problemas de oclusão. 

No esporte
As agulhas são convocadas para minorar dores musculares, ajudar na recuperação das lesões e aperfeiçoar o desempenho do atleta. 

Na anestesia
Como tem um efeito sobre a medula, a acupuntura corta, temporariamente, a transmissão dos estímulos dolorosos. Por enquanto, é mais empregada em procedimentos de pequeno porte. 


Design Robson Quinafélix e Gisele Pungan / Fotos Omar Paixão / Produção: Alê Ravizza / Modelo: Assiara (Daphne) / Infográfico: Evandro Bertol

Fonte:
http://saude.abril.com.br/edicoes/0326/medicina/acupuntura-funciona-577593.shtml